Seminários - Colóquios - Conferências
Seminários, Colóquios e Conferências
A Divisão de Astrofísica do INPE organiza, semanalmente, seminários que são apresentados no auditório do IAI (INPE), nas terças-feiras às 15:00h. Acontecem também seminários especiais, que podem ter datas e horários distintos dos estabelecidos.
Relação de Seminários para o ano de 2003.
Informações: (12) 3208-7220

Março
Data Título Seminarista Instituição
11/03 Thyrso Villela Neto DAS/INPE
18/03 Carlos Alexandre Wuensche DAS/INPE
26/03 Raymundo Baptista UFSC
 
Abril
01/04 Dr. Luis Raul Weber Abramo IF/FMA/USP
08/04 Odylio Denys de Aguiar DAS/INPE
15/04 Abraham Chian-Long Chian DGE/INPE
25/04 Jacques Lepine IAG/USP
29/04 Marcelo Guzzo IFI/UNICAMP
 
Maio
06/05 Flávio D'Amico DAS/INPE
13/05 Cristiano da Rocha DAS/INPE
22/05 Antonio Pereyra IAG/USP
27/05 João Braga DAS/INPE
 
Junho
02/06 Dr. Ryuichi Fujimoto Institute of Space and Astronautical Science, Japan
10/06 Alexandre Roman Lopes IAG/USP
17/06 Dr. José Williams S. Vilas Boas DAS/INPE
24/06 Dr. José Williams S. Vilas Boas DAS/INPE
 
Julho
01/07 Dr. José Carlos Neves de Araujo DAS/INPE
16/07 Dr. Philippe Durouchoux CE Saclay, Service d'Astrophysique, France
29/07 Dr. Joern Wilms IAA, Tübingen Alemanha
 
Agosto
12/08 Ana Paula DAS/INPE
19/08 Dr. Francisco Jablosnski DAS/INPE
26/08 Dr. Gary Steigman Departments of Physics and Astronomy, The Ohio State University
 
Setembro
09/09 Carlos Rabaça OV/UFRJ
16/09 Joaquim Eduardo Rezende Costa CRAAM/CRI
23/09 Sueli Viegas IAG/USP
30/09 Francisco Carlos R. Fernandes DAS/INPE
 
Outubro
10/10 Prof. Marcelo Gleiser Dartmouth College, EUA
14/10 João Braga DAS/INPE
21/10 Dr. Patrício Letelier IME/UNICAMP
23/10 Dr. German Gomero IFT/UNESP - CBPF
30/10 Jane Gregório Hetem IAG/USP
 
Novembro
04/11 Dr. Rogério Rosenfeld IFT/UNESP
11/11 Dr. André Milone DAS/INPE
18/11 César Augusto Costa DAS/INPE
25/11 Dr. Antonio Mário Magalhães IAG/USP
 
Dezembro
02/12 Armando Bernui Leo CBPF - DAS/INPE
09/12 Dr. Carlos Alexandre Wuensche DAS/INPE
16/12 Dr. Sharad Kane Space Sciences Laboratory - UC Berkeley
SEMINARISTA: Dr. Thyrso Villela Neto - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 11/03/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Resultados do Experimento BEAST

RESUMO: Serão apresentados os primeiros resultados científicos obtidos com o experimento BEAST (Background Emission Anisotropy Scanning Telescope). O BEAST tem como objetivo medir flutuações de temperatura na Radiação Cósmica de Fundo em microondas (RCFM) e foi desenvolvido em forma de colaboração entre o INPE, a Unifei, a Universidade da Califórnia - Santa Bárbara, o JPL/NASA, o Caltech, a Universidade de Milão, a Universidade de Roma e a Universidade de Illinois - Urbana-Champaign. Atualmente, ele está operando nas freqüências de 30 GHz e 40 GHz, com uma resolução angular de 30 minutos de arco e 23 minutos de arco, respectivamente. Serão apresentados os primeiros mapas de anisotropia da RCFM obtidos com o BEAST que cobrem uma área de ~ 2500 graus quadrados no céu. Serão mostradas a extensão da contaminação dos dados pela emissão de microondas da Galáxia e as primeiras comparações dos mapas do BEAST com os mapas obtidos pelo satélite WMAP.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Carlos Alexandre Wuensche - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 18/03/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Anisotropias na radiação cósmica de fundo em microondas: a segunda década

RESUMO: Apresentaremos a evolução das medidas de anisotropias na radiação cósmica de fundo em microondas, desde sua primeira medida em 1992, com o satélite COBE, até os resultados dos experimentos de última geração (pós-BOOMERANG), incluindo os resultados recentes do satélite WMAP. Apresentaremos a evolução das ferramentas teóricas e da instrumentação utilizada e também a importância das medidas de polarização. Finalmente discutiremos os valores atuais apresentados para os parâmetros cosmológicos e o que esperar da segunda década de medidas.
Topo     
SEMINARISTA: Raymundo Baptista - CCFM/Depto Física/UFSC
DATA: 26/03/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Mapeamento das fontes de flickering em binárias cataclísmicas: princípios, simulações e primeiros resultados

RESUMO: Um dos principais problemas ainda não resolvidos na física do acréscimo está relacionado às causas do "flickering", a rápida cintilação intrínseca de brilho de amplitude 0,1 a 1 magnitudes em escalas de tempo de segundos a minutos considerada uma assinatura dos processos de acréscimo. A importância do estudo do flickering pode ser medida pelos seguintes argumentos: (i) a potência luminosa associada ao flickering pode ser uma fração substancial da luminosidade total das fontes (e.g., o flickering é bem mais importante do que a contribuição da estrela secundária na maioria das binárias cataclísmicas); (ii) flickering é um fenômeno dependente do tempo cujo estudo pode fornecer informação crucial para compreender a viscosidade em discos de acréscimo, algo que não pode ser conseguido a partir de teorias independentes do tempo (i.e., modelos estacionários). Apesar disto, o flickering é o aspecto menos estudado e o mais mal compreendido dos processos de acréscimo. A questão fundamental que nos propomos a responder é: "Onde se origina o flickering?" A forma mais promissora de abordar, e provavelmente responder esta questão, consiste em utilizar técnicas de mapeamento por eclipses para investigar e mapear a distribuição superficial das fontes de flickering em cataclísmicas eclipsantes. Neste seminário descrevemos duas técnicas usadas para avaliar a dependência orbital da amplitude do flickering em cataclísmicas eclipsantes, investigamos a habilidade do método de mapeamento por eclipses em reconstruir a distribuição das fontes de flickering a partir de simulações com conjuntos de curvas de luz artificiais, e apresentamos os resultados mais recentes da aplicação deste método para investigar a origem da cintilação intrínseca de brilho na nova anã V2051 Oph.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Luis Raul Weber Abramo - IF/FMA/USP
DATA: 01/04/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Energia escura: o que é, para que serve, como testar?

RESUMO: Um conjunto de observações aponta para alguma forma de matéria cujo efeito é acelerar a taxa de expansão do universo em tempos recentes (z < 1,5). Além da célebre "constante cosmológica" (cujos sérios problemas discutiremos), há hoje um grande número de modelos de energia escura que explicam a aceleração do universo e que poderiam, potencialmente, serem distinguidos de uma constante cosmológica. Na prática, porém, boa parte desses modelos são indistinguíveis de um modelo Lambda-CDM. Mostraremos que somente o estudo das perturbações cosmológicas nesses modelos é que vão poder nos dizer se a origem da aceleração do universo é de fato a constante cosmológica, ou se a causa é algum outro tipo de campo cujas consequências físicas seriam sentidas para muito além da cosmologia e da astrofísica. Discutiremos também como as observações da radiação cósmica de fundo podem desempenhar um papel crucial na busca pelo causador da aceleração do universo.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Odylio Denys de Aguiar - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 08/04/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Detecção de Ondas Gravitacionais: a "primeira onda" está cada vez mais próxima

RESUMO: Previstas por Einstein em 1916, e após quatro décadas de busca iniciada por J. Weber, a "primeira onda" gravitacional parece estar prestes a ser detectada. Apesar de não estar claro quais grupos vão participar do primeiro evento confirmado, existe uma alta probabilidade que o observatório LIGO seja um dos protagonistas. Entretanto, se nenhum detector no solo fizer uma observação direta até o final da década, as chances estarão quase todas com a antena espacial LISA. Neste seminário serão apresentadas as curvas de sensibilidade dos detectores mais competitivos atualmente e em futuro próximo e as principais programações de busca. Para completar, é relatado o estado do projeto brasileiro e as principais pesquisas realizadas.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Abraham Chian-Long Chian - DGE/INPE
DATA: 15/04/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Radiação de Plasma das Estrelas Eruptivas

RESUMO: Ondas e turbulências de Langmuir produzidas através da interação de feixes de elétrons com o plasma podem ser responsáveis pela geração de emissões de rádio de estrelas eruptivas, por exemplo, emissões tipo-III solares. Estas emissões podem servir para a previsão de clima espacial, sensoriamento remoto do ambiente espacial e busca de planetas exo-solares. A aplicação dos conceitos de caos para modelamento da radiação de plasma estelares será discutida.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Jacques Lépine - IAG/USP
DATA: 25/04/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: The Oph-Sco-Lup-Cen-Cru-Mus-Cha star-formation region

RESUMO: We describe the main characteristics of the young stars of this extended prominent structure of the southern sky: spatial distribution, age distribution, space velocities. Based on our recent results, we find very uniform space velocities and no age gradient over a structure with a length of at least 150 pc. We briefly review some of the scenarios that have been put forward up to now to explain this structure: expanding Gould's Belt models, sequential star formation, impact of high-velocity clouds, superbubbles or supershells, stochastic star-formation. We discuss the pros and cons of these models, and we argue that the best explanation is that we are seeing a spiral arm of the Galaxy. We present other evidences that there is a spiral arm passing close to the Sun, and discuss the theoretical expectations concerning the velocity perturbations due to the spiral arms, in a region slightly inside the co-rotation radius. We show that the distribution of open clusters situated within about 1 kpc from the Sun confirms our view.
Topo     
SEMINARISTA: Dr.Marcelo Moraes Guzzo - IFGW/UNICAMP
DATA: 29/04/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: A Solução ao Problema do Neutrino Solar e o Prêmio Nobel de Física de 2002

RESUMO: Apresentamos o histórico do problema do neutrino solar e os mais recentes resultados experimentais que apontam de uma maneira muito consistente para o mecanismo MSW-LMA como a solução desta anomalia. Discutimos o experimento de SNO e o experimento de longo alcance KamLAND (cujo detector está a cerca de 200 km das fontes). A solução encontrada baseia-se no mecanismo de oscilações quânticas de neutrinos intensificadas ressonantemente pela interação destas partículas com a matéria. Mencionaremos a relevância dos trabalhos pioneiros nesta área que receberam o Prêmio Nobel de Física do ano de 2002.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Flávio D'Amico - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 06/05/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Estudo espectral em raios-X duros de fontes do tipo Z com o HEXTE/RXTE

RESUMO: Em 2001 eu comecei um estudo de análise espectral em raios-X duros de fontes do tipo Z com o High Energy X-Ray Timing Experiment (HEXTE), um dos três telescópios de raios-X à bordo do Rossi X-Ray Timing Explorer (RXTE). A motivação inicial deste estudo foi a pouca literatura e, conseqüentemente, o pouco conhecimento existente (ainda hoje) sobre a emissão em raios-X duros desta classe de binárias de raios-X de baixa massa (BXBM), quando comparadas com fontes do tipo atoll, que também são BXBM. No seminário eu explicitarei o que eu quero dizer com "pouco conhecimento". Obviamente, junto com meus colaboradores da UCSD, nós sabíamos do potencial (ou, experimentalmente falando, da sensibilidade) do HEXTE e das boas características que este telescópio apresenta para um estudo deste tipo. Eu mostrarei o que e quem são as 6 fontes Galácticas que chamamos "fontes do tipo Z", explicarei como selecionamos nossa base de dados, falarei resumida e brevemente sobre o nosso conhecimento atual sobre emissão em raios-X duros em BXBM, descreverei rápida e sucintamente tanto o HEXTE quanto o RXTE e então o processo de análise/redução dos dados será explicitado. Para que eu possa apresentar a minha análise espectral em raios-X duros, eu vou ter que explicar como o HEXTE mede o ruído de fundo e como a localização das 6 fontes Z tornaram a minha vida um pouco mais emocionante, digamos. Apresentarei, finalmente, os meus resultados deste estudo espectral em raios-X duros, que resumidamente são os seguintes...... Ou melhor: fica combinado que se você quiser saber dos resultados será bem-vindo ao seminário!!
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Cristiano da Rocha - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 13/05/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Luz Difusa em Grupos Compactos - Aplicações de Análise Wavelet

RESUMO: Desenvolvemos para a análise de estruturas extensas e de baixo brilho superficial em imagens astronômicas, como luz difusa, "shells" e galáxias anãs de maré, uma técnica baseada em transformadas "Wavelet". A análise de observações nas bandas B e R de quatro grupos compactos (HCG 79, HCG 88, HCG 92 e HCG 95) revelou a presença de uma considerável quantidade de luz intergaláctica difusa em dois deles (HCG 79 e HCG 95). A componente difusa é presumivelmente devida a material estelar arrancado das galáxias membro do grupo por efeitos de maré. A luz difusa detectada tem uma cor média de (B-R) = (1,4 - 1,5) +/- 0,1, coerente com a cor encontrada nas partes externas de galáxias elípticas, e corresponde às seguintes frações da luz total de cada grupo, na banda R: 18%, 12%, 3% e 0% para os grupos HCG 95, HCG 79, HCG 92 e HCG 88, respectivamente. A componente de luz difusa de um grupo pode representar uma ferramenta eficiente para determinar há quanto tempo os grupos estão juntos em uma configuração compacta.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Antonio Pereyra - IAG/USP
DATA: 20/05/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Polarimetria IV no LNA

RESUMO: Adaptamos a câmera infravermelha (CamIV) e o polarímetro de imagem (IAGPOL) no LNA para realizar polarimetria infravermelha de imagem. Apresentamos os primeiros resultados usando esta configuração junto ao telescópio de 60 cm do IAG. As medidas feitas incluem fontes pontuais observadas no filtro H. Os resultados são consistentes e uma boa razão sinal-ruido é obtida. O processo de redução dos dados é apresentado visando sua sistematização futura. Cuidados especiais tomados durante o processo de aquisição são anotados. O processo de redução inclui uma adaptação de um software de propósito específico desenvolvido pelo Grupo de Polarimetria do IAG para dados de polarimetria óptica. A viabilidade da técnica é discutida para diferentes projetos observacionais que incluem: observação de nuvens escuras, glóbulos de bok/cometários, monitoramentos, alvos de ocasião, etc.
Topo     
SEMINARISTA: João Braga - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 27/05/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Monitor e Imageador de Raios-X (MIRAX): Status atual e Progressos Recentes

RESUMO: O Monitor e Imageador de Raios-X (MIRAX) é um projeto de um microssatélite astrofísico que faz parte do programa de satélites científicos da CEA, do INPE e da Agência Espacial Brasileira, contando com forte colaboração internacional (EUA, Holanda e Alemanha) e tecnologia de ponta nas áreas de detectores e técnicas de imageamento. O MIRAX é um imageador de raios-X na faixa de 2 a 200 keV, com resolução angular de 6 minutos de arco, que tem como principal objetivo realizar observações espectrais simultâneas e quase ininterruptas, sem precedentes, de um grande número de objetos astrofísicos. O MIRAX será uma missão capaz de, pela primeira vez, detectar, localizar e estudar fenômenos transientes imprevisíveis que ocorrem em objetos compactos numa região de aproximadamente 1000 graus quadrados do plano Galáctico central, em escalas de tempo de milissegundos a anos. O planejamento atual prevê o lançamento do satélite pelo VLS em 2008, para um missão de 2 a 3 anos. O MIRAX representa a abertura de uma nova janela observacional para a astronomia brasileira, tradicionalmente concentrada nas faixas óptica e de rádio. Nesse seminário farei uma apresentação do projeto, com ênfase nos desenvolvimentos recentes e no status atual da missão.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Ryuichi Fujimoto - Institute of Space and Astronautical Science, Japan
DATA: 02/06/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Astro-E2 XRS, and X-ray microcalorimeter development for future X-ray astronomy missions

RESUMO: Astro-E2 is the fifth Japanese X-ray astronomy satellite. It is now being developed under Japan/US international collaboration, and will be launched in 2005. Astro-E2 carries three types of focal plane detectors: XRS (X-Ray Spectrometer; X-ray microcalorimeter), XIS (X-ray Imaging Spectrometer; X-ray CCD camera), and HXD (Hard X-ray Detector; well-type phoswitch counter), and achieves extremely high energy resolution (6eV at 6keV) and very wide energy coverage (0.5--600keV). In the first half of my talk, I will overview Astro-E2, and describe its scientific goals, especially from the XRS point of view. In the second half of my talk, I will present our recent work for X-ray microcalorimeter development. The primary candidate for the next-generation high-resolution X-ray spectrometer is an X-ray microcalorimeter array which utilizes superconducting phase transition as a thermometer. I will describe the principle of the detector, and show the present status of our development.
Topo     
SEMINARISTA: Alexandre Roman Lopes - IAG/USP
DATA: 10/06/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Descoberta de um aglomerado de estrelas massivas associado à fonte IRAS 16177-5018

RESUMO: Neste trabalho apresentamos a descoberta de um aglomerado de estrelas jovens e massivas embebido em uma região HII extensa associado com a fonte IRAS 16177-5018, que se apresenta invisível na faixa óptica do espectro eletromagnético, onde a extinção é da ordem de AV » 28 magnitudes. As observações foram feitas com a camera infravermelha (CamIV) do Laboratório Nacional de Astrofísica, Brasil, equipada com um detector Hawaii de HgCdTe de 1024´1024 pixel acoplada ao telescópio de 60 cm Boller & Chivens do IAG. A fotometria obtida a partir das imagens nas bandas J, H e K (filtro estreito) mostrou a presença de fontes com excesso de emissão no infravermelho em 2.2 mm, concentradas em uma área de aproximadamente um minuto de arco quadrado em torno da nebulosa na qual esta embebido o objeto identificado como a fonte IRAS. A fonte IRAS apresenta um índice espectral (entre 2.2 - 21.3 mm) a = d log(lFl) / d logl = 4.78, característico de um objeto extremamente jovem com luminosidade bolométrica (obtida da integral da densidade de fluxo entre o infravermelho próximo (1.25mm) e o infravermelho distante (100 mm)) de 2.8 ´ 105 LSol, o qual corresponde a uma estrela da sequência principal de idade zero de cerca de 42 MSol. A partir do diagrama cor-magnitude foi possível classificar a maioria dos membros do aglomerado como estrelas massivas mais luminosas que tipo espectral B5.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Williams Vilas-Boas - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 17/06/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Qual o problema da nuvem escura OPHIUCHUS ?

RESUMO: Monóxido de carbono (CO) foi observado em mais de 200 condensações de nuvens moleculares próximas do Sistema Solar (nuvens escuras). Os resultados mostram que em Ophiuchus a razão de abundâncias das variedades isotópicas (13CO/C18O) é diferente do que se observa em todas as outras nuvens moleculares escura. Nesse trabalho discutiremos superficialmente as hipóteses de que essa diferença se deve ao fato de que a nuvem é iluminada por um intenso campo de radiação ultravioleta ou que ela seja mais fragmentada que as outras nuvens escuras.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Williams dos Santos Vilas Boas - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 24/06/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: "ROI: Presente e Futuro"

RESUMO: Neste trabalho apresentaremos informações sobre a situação atual do Rádio Observatório do Itapetinga (ROI) e discutiremos a importância da instrumentação disponível no ROI para pesquisas hoje e no futuro.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Philippe Durouchoux - CE Saclay, Service d'Astrophysique, France
DATA: 16/07/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 10h

TITULO: "INTEGRAL: SEVEN MONTHS AFTER"

RESUMO: INTEGRAL, the ESA's International Gamma Ray Laboratory has been successfully launched with a Proton rocket from Baikonur Cosmodrome (Kazakhstan), in fall 2002. Integral was designed to provide new insights into the most violent and exotic objects of the Universe, such as black holes, neutron stars, AGN and supernovae. This has been possible thanks to INTEGRAL's combination of fine spectroscopy and imaging of gamma-ray emissions in the energy range of 15 keV to 10 MeV. The first gamma-photons have been recorded and analyzed, showing the instruments are working properly. I will present preliminary results and perspectives of this high energy space laboratory.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Carlos Neves de Araujo - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 01/07/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: MACHOs Binários como Fontes de Ondas Gravitacionais

RESUMO: Há evidências de que ao menos uma forma de matéria escura tenha sido detectada via o efeito de "microlentes". Esta forma de matéria escura sendo chamada MACHOs (Massive Astrophysical Compact Halo Objects). As massas dos MACHOs são estimadas estar no intervalo de 0,15-0,95 massas solares, sendo que a massa mais provável é de 0,5 massa solar. Argumenta-se que os MACHOs podem ser buracos negros, e que eles possam formar sistemas binários. É bem sabido que sistemas binários são fontes de ondas gravitacionais. O detector de ondas gravitacionais Schenberg irá operar na banda 3,0-3,4 kHz, podendo desta forma detectar os MACHOs binários pouco antes de coalescerem. Discutiremos neste seminário a detectabilidade dos MACHOs binários pelo detector Schenberg, bem como pelos detectores tipo barra (AURIGA, NAUTILUS, EXPLORER, ALLEGRO) e interferométricos terrestres (VIRGO, LIGO, TAMA, GEO, etc).
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Joern Wilms - IAA, Tübingen Alemanha
DATA: 29/07/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Cyclotron Lines in Accreting Neutron Stars

RESUMO: Cyclotron resonance features, i.e., lines produced by the transition of electrons between Landau levels in the strong (10^12 G) magnetic fields of accreting neutron stars, provide the only direct measure of the magnetic fields of neutron stars. In the recent years, reliable data have become available from more than a dozen different sources. In my talk I will review the physics of the generation of cyclotron lines and present phase resolved results from RXTE observations of Vela X-1, GX 301-2, and 4U0115+63. The time averaged analysis of a larger sample of accreting neutron stars provides evidence for a correlation between the line parameters and the spectral continuum. These correlations might provide a testbed for future theories of the generation of the high energy radiation from accreting neutron stars. My talk will conclude with an outlook on what missions such as MIRAX will be likely to contribute to neutron star research.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Michael Edmund Tobar
DATA: 31/07/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Testing the Fundamentals of Physics Using Cryogenic Microwave Oscillators

RESUMO: The conventional understanding of the Universe admits four fundamental interactions or forces - Gravitational, Electromagnetic, and the Strong and Weak Nuclear Forces. It is widely believed that these four forces are really manifestations of a single underlying and unifying interaction that can be revealed if one examines nature with sufficiently precise measurement. Naturally it is not clear what type of precise measurement will reveal deviations from the present understanding. Particle accelerators directly probe nature on short-distance and high-energy; an alternative approach is to search for exquisitely small deviations from known physics that can be seen on conventional energy and distance scales. Examples of such measurements include new versions of the famous Michelson-Morley and Kennedy-Thorndike experiments, as well as laboratory measurements of the time independence of the fine structure constant. We are developing a new range of oscillators and clocks, when combined with the best from across the world, offer the prospect of measurements that may reveal this next layer of understanding. To achieve these types of measurements, frequency standards (or oscillators) with frequency stability in the sub-10^{-15} range are necessary. This type of performance can be achieved with state-of-the art cryogenic microwave oscillators [1,2]. New experiments are currently underway in the laboratory [3-5], and in the future more precise measurements are proposed in space. These experiments will be outlined along with our participation in the Atomic Clock Ensemble in Space (ACES) mission.

[1] M.E. Tobar, E.N. Ivanov, C.R. Locke, and J.G. Hartnett, "Novel difference frequency technique to achieve frequency-temperature compensation in a whispering-gallery sapphire resonator-oscillator," IEE Electron. Lett. 2002, vol. 38, pp. 948-950, 2002.

[2] M.E. Tobar, G.L. Hamilton, E.N. Ivanov, and J.G. Hartnett, "New method to build a high stability sapphire oscillator from the temperature compensation of the difference frequency between modes of orthogonal polarization," IEEE Trans. on Ultrason. Ferroelec. and Freq. Control, vol. 50, 2003.

[3] P. Wolf, S. Bize, A. Clairon, A.N. Luiten, G. Santarelli, M.E. Tobar, "Tests of Lorentz Invariance using a microwave resonator," Phys. Rev. Lett., vol. 90, no. 6, 060402, 2003.

[4] M.E. Tobar, J.G. Hartnett, and J. D. Anstie, "Proposal for a new Michelson-Morley experiment using a single whispering spherical mode resonator," Phys. Lett. A., vol. vol. 300/1, 2002. [5] M.E. Tobar and J.G. Hartnett, "Proposal for a new test of the time independence of the Fine Structure Constant", Phys Rev D, vol. 67, 062001, 2003.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Ana Paula Andrade - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 12/08/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: Análise do Modelo de Mistura não Gaussiana para o Campo de Flutuações da Radiação Cósmica de Fundo

RESUMO: Estudos estatísticos das flutuações primordiais de densidade podem oferecer um importante teste para os modelos cosmológicos que descrevem a origem e a evolução dessas flutuações. Basicamente, o campo de flutuações de densidade pode ser classificado em duas categorias distintas: uma delas descrita por uma estatística gaussiana e outra que engloba todas as estatísticas não gaussianas. De um lado, encontra-se o modelo inflacionário que prevê um espectro de flutuações adiabáticas distribuídas seguindo uma estatística gaussiana e, de outro, modelos de defeitos topológicos que descrevem um mecanismo para a geração de flutuações de isocurvatura que obedecem a uma distribuição não gaussiana. Este trabalho tem como objetivo investigar, no contexto das flutuações da Radiação Cósmica de Fundo (RCF), as características básicas do modelo de campo misto entre flutuações de origem adiabática e de isocurvatura, cuja função de distribuição é descrita por uma estatística não gaussiana. A investigação das propriedades do campo misto de flutuações foi realizada por meio de simulações Monte Carlo das anisotropias da RCF assumindo inicialmente um espectro misto de flutuações, com estatística ligeiramente não gaussiana e considerando a evolução linear dos campos de flutuações desde o Universo primordial até o momento do desacoplamento entre fótons e matéria. As características do modelo de mistura foram investigadas no espectro de potência angular da RCF e na simulação, em pequenas escalas angulares, dos mapas de temperatura, ambos gerados assumindo um espectro de potência misto e uma distribuição não gaussiana para o campo de flutuações. Os resultados obtidos indicam traços marcantes no espectro de potência da RCF, ainda que considerada apenas uma pequena fração de mistura entre os campos (da ordem de 0,1%). As alterações observadas claramente indicam a transferência de potência de flutuações em escalas angulares intermediárias ( ~ 1 grau) para flutuações em pequenas escalas angulares ( 1-5 minutos de arco ). Nós interpretamos este resultado como a indicação de fortes correlações para as flutuações em escalas inferiores ao horizonte de Hubble. A descrição estatística do campo misto de flutuações foi realizada por meio do estudo, no contexto não gaussiano, da função de correlação média do campo e da função de correlação entre picos de grande amplitude. Esta descrição nos permite mostrar o aumento da função de correlação média para o campo de densidade em função da componente não gaussiana. Este trabalho apresenta resultados originais na descrição do comportamento do espectro de potência angular da RCF quando adicionada uma componente não gaussiana ao campo original. Este estudo pode auxiliar a compreensão dos efeitos das contribuições não gaussianas para o campo de flutuações da RCF e servir de referência para estudos futuros referentes aos processos físicos vigentes no Universo primordial que deram origem às flutuações de densidade. As previsões do modelo de campo misto, uma vez confrontadas com as observações da RCF em pequenas escalas angulares, podem ajudar a revelar a natureza das flutuações primordiais.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Francisco José Jablonski - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 19/08/2003
LOCAL: Sala 90 CEA
HORA: 14h

TITULO: A campanha de observações de V2116 Oph em 2002

RESUMO: V2116 Oph é a contrapartida óptica/infravermelha de GX 1+4, um pulsar de raios X que tem várias características únicas entre os objetos desse tipo. A presença de pulsações ópticas com amplitude de até 4% permite acompanhar a custo relativamente baixo a história da aceleração/desaceleração do pulsar, além de permitir investigar o local de reprocessamento da radiação pulsada via comparação com as medidas obtidas com satélites de raios X. Neste seminário nós resumimos os resultados obtidos na campanha observacional de 2002, com ênfase nos aspectos relativos às pulsações ópticas e às características do "flickering" nas curvas de luz.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Gary Steigman - Departments of Physics and Astronomy, The Ohio State University
DATA: 26/08/2003
LOCAL: Auditório IAI
HORA: 14h

TITULO: Probing Baryons And Neutrinos With BBN And The CBR

RESUMO: One of the key pillars of modern cosmology, Big Bang Nucleosynthesis (BBN) offers a probe of the particle content and expansion rate of the Universe a mere few minutes after the beginning. When compared with the BBN predictions, the primordial abundances of deuterium and helium-4 provide an excellent baryometer and chronometer respectively. Helium-4 is also sensitive to the neutrino content of the Universe and is a potential probe of any asymmetry between neutrinos and antineutrinos. Several hundred thousand years after BBN, when the Cosmic Background Radiation (CBR) photons began progagating freely, the spectrum of temperature fluctuations imprinted on them were also sensitive to the baryon density and to the expansion rate. The comparison between the constraints imposed by BBN and those from the CBR reveals a consistent picture of the Universe at two very widely separated epochs. Combining these two probes leads to new, tighter constraints on the baryon density at present and on possible new physics beyond the standard model of particle physics.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Carlos Roberto Rabaça - GEMAC - Depto de Astronomia - OV/UFRJ
DATA: 09/09/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Um método de visão multiescalar aplicado a imagens astronômicas usando wavelets

RESUMO: A transformada de wavelet é uma poderosa ferramenta matemática que possui aplicações em diversas áreas do conhecimento, desde a medicina à área forense. Mais recentemente, ela vem sendo adaptada a uma série de problemas astronômicos, apesar de ainda serem poucas as ferramentas computacionais disponíveis aos astrônomos. Baseada nas propriedades de dilatação e translação de ondulações de natureza finita, a técnica de wavelet fornece uma decomposição multiescalar dos dados originais que permite o desenvolvimento de aplicações que vão desde a filtragem, a detecção e a de(s)convolução de estruturas em imagens, até a compressão de dados e a separação de fontes às cegas. Neste seminário, apresentarei conceitos envolvidos em um modelo de visão multiescalar usando o algoritmo "à trous" (com buracos). Apresentarei também o resultado de algumas aplicações preliminares que vimos desenvolvendo.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Joaquim Rezende Costa - CRAAM/UPM
DATA: 19/09/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Aprisionamento e precipitacao de eletrons em explosoes solares

RESUMO: A duracao das explosoes solares e' uma caracteristica relacionada `a extensao temporal da funcao de injecao ou ao confinamento das particulas emissoras. As emissoes em raios X duros e microondas destas particulas se apresentam muito estruturadas para serem atribuidas apenas a uma relaxacao colisional no confinamento. Nos estamos apresentando uma analise deste problema com observacoes em microondas que confirmam algumas previsoes do modelo de aprisionamento e precipitacao.

Topo     
SEMINARISTA: Dra. Sueli M.M. Viegas - IAG/USP
DATA: 23/09/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: A Visão no Infravermelho das Galaxias Ativas

RESUMO: O estudo dos processos fisicos nas galaxias ativas que permitem compreender as caracteristicas de seus espectros tem sido beneficiado pela enorme quantidade de dados observacionais obtidos nos ultimos anos. O cenario basico conhecido ha' quase uma decada revela uma fonte de energia associada a um buraco negro à qual se soma uma regiao de formacao estelar circumnuclear. A radicao resultante ioniza e aquece as regioes responsaveis pela emissao de linhas, e explica, em primeria aproximacao, o espectro observado. Entretanto, o aumento de qualidade nas observacoes tem mostrado a necessidade da presenca de uma fonte adicional de energia que permita reproduzir mais adequadamente o espectro dos AGN. Usando observacoes dos espectros continuo e de linhas de galaxias ativas, desde o radio até raios X, foi possivel mostrar que choques na "narrow-line region" (NLR) fornecem a solucao adequada para explicar as observacoes mais recentes. Nesta palestra, sera' principalmente focalizada a emissao no infravermelho. A analise dessa região do espectro através de simulações numéricas, que incluem fotoionização e choques na NLR, permite distinguir a importância relativa desses dois mecanismos de ionização e aquecimento do gás. Os modelos fornecem também as caracteristicas das nuvens da NLR e seu conteúdo em poeira, além, de possiveis correlações entre a emissão no infravermelho e em outros intervalos de frequência. Do ponto de vista de objetos individuais, esse tipo de analise é o único que permite reproduzir o espectro observado em todas as frequências, fornecendo, portanto, um cenário mais completo das galaxias ativas.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Francisco C R Fernandes - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 30/09/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Investigações Simultâneas de Flares Solares em Rádio e Raios-X

RESUMO: O Brazilian Solar Spectroscope (BSS) está na operação regular no INPE, em conjunto com uma antena parabólica de 9 metros de diâmetro desde 1998. O BSS é dedicado ao monitoramento da atividade solar na faixa de freqüência decimétrica (1000-2500 MHz), com alta resolução temporal (10-1000 ms) e espectral (3 MHz) e precisão de tempo absoluta inferior a 3 ms. O dados das observações da atividade solar podem ser digitalizados em até 100 canais de freqüência e visualizados na forma de espectros dinâmicos em tempo quase-real. A partir de março de 2002, diversos flares solares foram observados pelo BSS e simultaneamente em raios-X pelo satélite RHESSI ("Ramaty High Energy Solar Spectroscopic Imager"), lançado em fevereiro de 2002. Neste trabalho, apresentamos os resultados preliminares da análise multi-espectral conjunta de dados do flare solar observado em 04 de abril de 2002 (~15:28 UT). Este flare foi observado em raios-X moles pelo satélite GOES (com máximo em ~15:32 UT) e classificado como M6.1, e não foi registrado flare no ótico associado. Em rádio freqüências decimétricas, apresentou emissões tipo III de banda estreita (< 200 MHz), associadas com a fase impulsiva. A partir da análise das taxas de deriva em freqüência destas emissões, foi inferida a densidade de elétrons da rádio fonte. A análise das imagens em raios-X do RHESSI indicou que o flare ocorreu cerca de 6 graus abaixo do limbo sudeste solar, provavelmente na região ativa NOAA 9898. A altura estimada da fonte de raios-X foi de ~4000 km acima da fotosfera solar. O espectro de energia em raios-X (8-30 keV) foi ajustado por uma lei de potência com índice espectral negativo igual a 6. Detalhes destes resultados serão apresentados e discutidos.

Topo     
SEMINARISTA: Prof. Marcelo Gleiser - Dartmouth College, EUA
DATA: 10/10/2003
LOCAL: Auditório IAI
HORA: 14h

TITULO: Caçadores das Ondas Perdidas: Transições de Fase Cosmológicas e Ondas Gravitacionais

RESUMO: Muito do que vemos hoje no Universo é decorrente de processos físicos que ocorreram no seu passado primordial. Tentar reconstruir a infância cósmica significa entender a dinâmica desses processos. Neste colóquio, discutirei a física das transições de fase cosmológicas e algumas de suas possíveis conseqüências observacionais. Dentre elas, a matéria bariônica da qual nós somos feitos e ondas gravitacionais.

Topo     
SEMINARISTA: João Braga - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 14/10/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: 3 anos de observações de bursts de raios gama com o satélite HETE

RESUMO: O satélite High Enery Transient Explorer (HETE-2), construído no MIT e com instrumentação de vários países, foi lançado em 9 de outubro de 2000 com a missão de detectar bursts de raios gama e disseminar rapidamente as suas posições no céu à comunidade astrofísica, para que observações em outros comprimentos de onda pudessem ser efetuadas (veja space.mit.edu/HETE). O INPE participa desse projeto como uma das instituições participantes e com uma estação de rastreio operando em Natal, RN. Neste seminário será feita uma descrição do HETE-2 e será apresentado um resumo das principais descobertas científicas alcançadas pelo HETE-2 e pelas observações de bursts em outros comprimentos de onda viabilizadas pelas posições fornecidas pelo HETE-2.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Patricio Letelier - IME/UNICAMP
DATA: 21/10/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Estabilidade de órbitas circulares de particulas orbitando ao redor de um centro de atração rodeado de estruturas com simetria axial

RESUMO: Usamos o critério de Rayleigh para estudar órbitas circulares de particulas orbitando ao redor de um centro de atração rodeado de estruturas com simetria axial, como discos, aneis e halos. Se consideram sistemas newtonianos e relativisticos. Encontramos que a dinâmica relativistica favorece a formação de anéis.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. German Gomero - IFT/UNESP - CBPF
DATA: 23/10/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Vivemos num universo finito?

RESUMO: Recentemente foi sugerido que nosso Universo teria a forma de um dodecaedro de Poincaré, e seria portanto finito. Este modelo foi construido com o intuito de explicar o valor extremamente baixo do quadrupolo da radiação cósmica de fundo medido pelo satelite WMAP. No dia seguinte um preprint anunciou os resultados de uma busca dos "círculos no céu" que deveriam existir no padrão de anisotropias da radiação de fundo: nada foi encontrado. Significa isto que o modelo do dodecaedro de Poincaré tem que ser descartado? Neste seminário discutiremos o status científico atual deste modelo.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. German Gomero - IFT/UNESP - CBPF
DATA: 23/10/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Vivemos num universo finito?

RESUMO: Recentemente foi sugerido que nosso Universo teria a forma de um dodecaedro de Poincaré, e seria portanto finito. Este modelo foi construido com o intuito de explicar o valor extremamente baixo do quadrupolo da radiação cósmica de fundo medido pelo satelite WMAP. No dia seguinte um preprint anunciou os resultados de uma busca dos "círculos no céu" que deveriam existir no padrão de anisotropias da radiação de fundo: nada foi encontrado. Significa isto que o modelo do dodecaedro de Poincaré tem que ser descartado? Neste seminário discutiremos o status científico atual deste modelo.

Topo     
SEMINARISTA: Dra. Jane Gregório Hetem - IAG/USP
DATA: 30/10/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Estrelas weak-T Tauri do PDS: reclassificação

RESUMO: Estudamos uma amostra de 27 estrelas T Tauri (TT), que mostram fraca linha H alfa, as quais foram classificadas como weak-TT no Pico dos Dias Survey (PDS) - uma busca por estrelas jovens. Analisando o excesso infravermelho e a contribuicao dos componentes circunstelares na distribuicao espectral de energia desses objetos, foi possivel classificá-los em diferentes categorias dentro de um cenário evolutivo. Os resultados desse trabalho serão apresentados no seminário. Em resumo, nos concluimos que apenas 41% da amostra pode ser considerada realmente como weak-TT, enquanto que os outros objetos sao TT clássicas, pos-TT ou estrelas jovens da sequência principal. O mais surpreendente resultado deste trabalho foi mostrar que para a maioria dos objetos da amostra uma fracao consideravel (~30% ou mais) da emissao total do sistema é devida ao material circunstelar. Em principio não se espera que as weak-TT ou as estrelas na fase final da pré-sequência principal apresentem um disco circunstelar importante. É bastante tentadora a ideia de que tais objetos sejam os precursores mais provaveis discos proto-planetários.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Rogério Rosenfeld - IFT/UNESP
DATA: 04/11/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Vínculos observacionais em modelos de quintessência

RESUMO: Após uma breve introdução aos chamados modelos de quintessência, onde a aceleração do universo é causada pela dinâmica de um campo escalar, mostraremos alguns vínculos observacionais que limitam a região do espaço de parâmetros desses modelos.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. André Milone - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 11/11/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: O Miniobservatório Astronômico da Divisão de Astrofísica

RESUMO: O Miniobservatório Astronômico corresponde a contrapartida da DAS-INPE ao Projeto Ensinando Ciências com Observatórios Virtuais que tem caracter multinstitucional, é coordenado pela USP e recebeu financiamento da Fundação Vitae. Tal projeto objetiva a automação completa dos sistemas de controle e aquisição de imagens digitais para acesso remoto via internet por meio de escolas do ensino fundamental e médio. Serão também apresentadas as atuações diversas que poderão ser atingidas com os equipamentos (telescópio Schmidt-Cassegrain de 28cm, camara CCD, filtros e espectrografo basicamente) e a infra-estrutura do Miniobservatório como projetos de iniciação cientifica, treinamento no Curso de Pós-graduação em Astrofisica e suporte às atividades de difusão da DAS, incluindo atendimento ao público em geral.

Topo     
SEMINARISTA: César Augusto Costa - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 18/11/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: A Utilização de um Modelo Matemático na Simulação de Dados do Detector de Ondas Gravitacionais Mario Schenberg e os Progressos na Solução do Problema Inverso

RESUMO: Neste seminário apresentaremos um modelo matemático para o detector de ondas gravitacionais Mario SCHENBERG. Para resolver o problema da esfera acoplada a osciladores secundários, utilizamos uma teoria elástica linear. Ao adotarmos este método determinamos as frequências de ressonância de um sistema composto por seis ressonadores de dois modos acoplados a superfície da esfera, seguindo a configuração do Icosaedro Truncado. Tal configuração apresenta um conjunto especial de simetrias que permite monitorar os cinco modos quadrupolares de oscilação da esfera. Chamamos este monitoramento de canais dos modos ("mode channels"). Encontramos 3 tripletos degenerados e 2 modos não degenerados cobrindo a banda de 3174-3240 Hz, quando consideramos a esfera inicialmente degenerada em 3206 Hz. Os resultados mostram que os ressonadores acoplados funcionam como transformadores de amplitude mecânica, amplificando o sinal em ~ 5340 vezes. De posse destes resultados, pudemos calcular a resposta do detector a um tipo especial de fonte, o "ringdown" de buracos negros. O sistema mostrou ter sensibilidade suficiente para detectar este tipo de sinal desde que proveniente de fontes encontradas dentro de um raio r ~ 20 kpc. Esta escala de distância abrange o centro galáctico e a maioria dos braços espirais, onde há a maior probabilidade de formação de buracos negros estelares. Portanto, a detecção deste tipo de sinal é uma oportunidade para a Astronomia de Ondas Gravitacionais descobrir as possíveis características da população de buracos negros em nossa galáxia. Além disso, mostraremos como estamos traçando as estratégias para a solução do problema inverso, ou seja, extrair informações sobre as componentes tensorias(polarizações) e direção de origem da onda gravitacional incidente do comportamento mecânico do detector.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Antônio Mário Magalhães - IAG/USP
DATA: 25/11/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Assimetrias em Envelopes de Estrelas Evoluídas

RESUMO: Descreveremos alguns programas, em andamento ou completados, que estudam o ambiente ao redor de vários tipos de estrelas evoluídas. Estes programas usam, entre outras técnicas, a polarização na luz proveniente destes objetos. Esta técnica permite a detecção e análise de assimetrias ao redor dos objetos, mesmo que eles não sejam resolvidos. Entre os programas a serem descritos estão:

- envelopes de estrelas Be nas nuvens de Magalhães
- atmosferas extendidas de estrelas AGB
- emissão térmica de envelopes de poeira
- estudo da variável V838 Mon.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Armando Bernui - CBPF - DAS/INPE
DATA: 02/12/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: "Afinal, o Universo é finito?: parece que é ..."

RESUMO: Medindo distâncias angulares entre objetos na esfera celeste, estudamos as correlações angulares de diferentes amostras - que chamaremos de 'catálogos' - de objetos pontuais. Os catálogos são gerados numericamente com diferentes tipos e graus de anisotropias. Como nós conhecemos a probabilidade teórica de 2 objetos quaisquer ter uma dada separação angular, quando eles pertencem a um catálogo isotrópico por definição, então aprendemos a diferenciar probabilidades que contêm simples "ruídos estatísticos" de probabilidades que apresentam assinaturas em determinada escala angular (em particular assinaturas de origem topológica). Aplicando o que foi aprendido para catálogos de isotemperaturas da Radiação Cósmica de Fundo em Microondas - dados obtidos pelo WMAP - encontramos assinaturas que podem ser reproduzidas por, pelo menos, uma variedade plana multiplamente conexa. Isto significa que o universo é aquela variedade?

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Carlos Alexandre Wuensche - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 09/12/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Multiscaling and Nonadditivity of Large-Scale Structures in the Universe

RESUMO: There has been a trend in the past decade to describe the large-scale structure of the Universe as a multifractal set. However, it has also been argued that the scaling generally used in this kind of analysis is not large enough to assure a precise determination of the scaling exponent. One of the main questions raised by the opponents of the fractal approach deals with the transition to homogeneity. They claim there is not enough sampling space to determine a scaling index which characterizes a (multi)fractal set. In this work we propose an alternative solution to this problem, using the generalized thermostatistics formalism. We show that applying the idea of nonadditivity, intrinsic to this approach, it is possible to derive an expression to the correlation function, describing the scaling properties of large-scale structures in the Universe and the transition to homogeneity, which is in good agreement with observational data.

Topo     
SEMINARISTA: Dr. Sharad Kane - Space Sciences Laboratory - UC Berkeley
DATA: 16/12/2003
LOCAL: Sala 90/CEA
HORA: 14h

TITULO: Imaging and Spectral Observations of Coronal Hard X-ray Sources Associated with Solar Flares

RESUMO: Solar flares produce a variety of electromagnetic and energetic particle emissions. The hard X-ray emission is produced primarily in the chromosphere at the "foot-points" of the associated magnetic loops. The stereoscopic observations of hard X-ray flares made during the last solar cycle with hard X-ray spectrometers aboard the ISEE-3, Pioneer Venus Orbiter and Ulysses spacecraft revealed the existence of flare associated hard X-ray sources high in the corona. Images of such sources were, however, not available at that time. Later the hard X-ray telescope on the Yohkoh satellite observed "loop-top" hard X-ray sources in the low corona in association with some flares. With the recent (Feb. 2002) launch of the Reuven Ramaty High Energy Solar Spectroscopic Imager (RHESSI), it has now become possible to obtain images and spectra of a variety of coronal hard X-ray sources in some behind-the-limb flares. A brief description of the the RHESSI instrument will be presented followed by some of the observational results related to the coronal hard X-ray sources in solar flares.

Topo     
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE
Av. dos Astronautas,1.758 - Jd. Granja - CEP 12227-010 - Sao José dos Campos - SP - Brasil
Copyright 2014 © INPE/DAS - Todos os direitos reservados.