Seminários - Colóquios - Conferências
Seminários, Colóquios e Conferências
A Divisão de Astrofísica do INPE organiza, semanalmente, seminários que são apresentados no auditório do IAI (INPE), nas terças-feiras às 15:00h. Acontecem também seminários especiais, que podem ter datas e horários distintos dos estabelecidos.
Relação de Seminários para o ano de 2002.
Informações: (12) 3208-7220

Março
Data Título Seminarista Instituição
19/03 José A. F. Pacheco OCA Nice (França)
26/03 Eduardo Cypriano IAG/USP
 
Abril
02/04 Dr. Francisco J. Jablonski DAS/INPE
09/04 Marcelo Rebouças CBPF
16/04 José Ademir Sales de Lima DFTE/UFRN e IAG/USP
23/04 Hélio Takai Brookhaven National Laboratory/ USA
30/04 Cássio Leandro Dal Ri Barbosa IAG/USP
 
Maio
07/05 Adriana Válio Roque da Silva CRAAM/UPM
14/05 João Braga DAS/INPE
21/05 Dr. José Williams dos S. Vilas Boas FMI/DAS/INPE
28/05 Mauricio Ortiz Calvao DFM/IF/UFRJ
 
Junho
04/06 Dr. Carlos Alexandre Wuensche de Souza DAS/INPE
11/06 Zulema Abraham IAG/USP
18/06 Dr. José Carlos Neves de Araujo DAS/INPE
25/06 Luiz Claudio Lima Botti DAS/INPE-CRAAM/UPM
 
Julho
02/07 Edgard Casal de Rey Neto DAS/INPE
04/07 Reinaldo Ramos de Carvalho ON
11/07 Gabriel Franco IF/UFMG
30/07 Vinod Krishan DAS/INPE
 
Agosto
13/08 Ronaldo Eustáquio de Souza IAG/USP
20/08 Ericsson Lopez IAG/USP
27/08 Sandra dos Anjos IAG/USP
 
Setembro
17/09 Jorge Ernesto Horvath IAG/USP
24/09 Dr. José Roberto Cecatto DAS/INPE
 
Outubro
01/10 Oswaldo Duarte Miranda Depto Física/ ITA
15/10 César Augusto Costa  
22/10 Paulo Sérgio Custódio  
29/10 Gustavo Medina Tanco IAG/USP
31/10 Dr. Gabriel Rodrigues Hickel Núcleo de Física Atmosférica, Aeronomia e Astrofísica - UNIVAP
 
Novembro
05/11 Gabriel Rodrigues Hickel UNIVAP
12/11 Cláudia Vilega Rodrigues DAS/INPE
19/11 Elisabete M. de Gouveia Dal Pino IAG/USP
22/11 Domingos S.L. Soares UFMG
26/11 Eduardo Janot Pacheco IAG/USP
28/11 Deonísio Cieslinski DAS/INPE
 
Dezembro
03/12 Vera Jatenco Silva Pereira IAG/USP
10/12 Sérgio Ricardo Furtado DAS/INPE
17/12 Hugo Vicente Capelato DAS/INPE
SEMINARISTA: José A. F. Pacheco, OCA Nice (França)
DATA: 19/03/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Radiação de Fundo em Ondas Gravitacionais e Fontes Astrofísicas

RESUMO: Neste seminário vai ser abordado o tema das ondas gravitacionais primordiais e sua detecção. Ademais, será abordado ainda o problema ocasionado pela emissão de fontes discretas dentro de volumes cosmológicos.
Topo     
SEMINARISTA: Eduardo Cypriano - IAG/USP
DATA: 26/03/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Lentes Gravitacionais em Aglomerados de Galaxias Brilhantes em Raios-X

RESUMO: Nesse seminario será discutido a quantidade total e a distribuicao de massa, obtidas por lentes gravitacionais, de aglomerados de galaxias baseados em uma amostra de 24 aglomerados brilhantes em raios-X que foram observados com o VLT. Alguns resultados preliminares sao a deteccao de arcos gravitacionais em sete aglomerados sendo que quatro desses sistemas de arcos nao eram conhecidos previamente e a determinacao de sua massa total usando-se a tecnica de lentes fracas. Tambem sera' feita uma revisao dos resultados mais interessantes da literatura recente de lentes gravitacionais como descoberta de galaxias com z>5 usando-se aglomerados de galaxias como telescopios naturais e a determinacao de parametros cosmologicos via "cosmic shear".
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Francisco J. Jablonski - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 02/04/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Novo método para determinar o período orbital em GX 1+4

RESUMO: GX 1+4 é uma fonte de raios X descoberta quando se iniciou a pesquisa astrofísica nessa faixa do espectro eletromagnético. Trata-se de uma binária de raios X na qual uma das componentes é uma estrela de nêutrons em rotação (apresentando-se portanto como um pulsar de raios X) e a outra componente é uma estrela gigante de tipo espectral M5. Apesar de apresentar diversas características únicas -- que são revistas neste seminário -- até hoje não existe uma determinação direta do período orbital do sistema binário. Nós revisamos os métodos clássicos baseados no efeito Doppler e mostramos as razões de não terem funcionado bem para este sistema. À luz das descobertas realizadas na DAS/INPE para GX 1+4, juntamente com as facilidades existentes para a observação em raios X (por exemplo, o satélite RXTE), nós propomos um novo método para determinar o período orbital desta binária. São apresentados os números básicos, as incertezas envolvidas e os custos em termos de esforço observacional. São discutidos também os subprodutos científicos de um programa que envolva observações simultâneas no óptico e em raios X.
Topo     
SEMINARISTA: Marcelo Rebouças - CBPF
DATA: 09/04/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Busca e Detecção da Topologia do Universo

RESUMO: A relatividade geral é uma teoria métrica e portanto não determina a topologia do espaço, uma vez que geometria não dita a topologia. Questões como se o universo em que vivemos é finito ou infinito e qual é sua forma são problemas de natureza topológica. Faremos uma revisão da questão da topologia do universo no contexto da cosmologia moderna, e apresentaremos alguns indicadores de sua detecção. Discutiremos ainda a questão da detecção da topologia do universo face as recentes observações de supernovas (Sne Ia), anisotropias na radiação cósmica de fundo (MÁXIMA, BOOMERANG) e observações de estruturas em larga escala.
Topo     
SEMINARISTA: Marcelo Rebouças - CBPF
DATA: 09/04/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Busca e Detecção da Topologia do Universo

RESUMO: A relatividade geral é uma teoria métrica e portanto não determina a topologia do espaço, uma vez que geometria não dita a topologia. Questões como se o universo em que vivemos é finito ou infinito e qual é sua forma são problemas de natureza topológica. Faremos uma revisão da questão da topologia do universo no contexto da cosmologia moderna, e apresentaremos alguns indicadores de sua detecção. Discutiremos ainda a questão da detecção da topologia do universo face as recentes observações de supernovas (Sne Ia), anisotropias na radiação cósmica de fundo (MÁXIMA, BOOMERANG) e observações de estruturas em larga escala.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Ademir Sales de Lima - DFTE/UFRN e IAG/USP
DATA: 16/04/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Teoria Cinética Não Extensiva?

RESUMO: Em 1988, Constantino Tsallis propôs uma generalização da estatística de Boltzmann-Gibbs. A nova expressão depende um parâmetro q medindo o grau de não-extensividade entrópico. No limite q => 1 a expressão extensiva padrão é recuperada. No seminário discutiremos a possibilidade de se construir uma contraparte cinética para esta estatística. Algumas aplicacões de interesse astrofísico serão também analisadas.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Ademir Sales de Lima - DFTE/UFRN e IAG/USP
DATA: 23/04/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Wave Detection of Ultra High Energy Cosmic Rays

RESUMO: Radio Wave Detection of Ultra High Energy Cosmic Rays Physics in the energy scale E=10^6 TeV and beyond is only accessible today via the ultra high energy (UHE) cosmic rays. In order to make use of these rare events large area detectors are required. Conventional detector technology can be used to cover areas up to few thousand square kilometers and is bound by cost. We propose to investigate the possibility of applying continuous radio wave scattering technique to detect UHE cosmic rays over a wide area. This technique known as Radio Meteor Scatter, used to study meteorites and micrometeorites, allows for an area coverage of the order of 10^6 km^2. Therefore, if the technique has similar performance for UHE cosmic rays a potential increase of a factor of a thousand in coverage can be obtained. However the detection of the events themselves does not bring relevant information necessary to study the physics. The proposal is to to identify the signal from the cosmic ray radio scatter and extract shower parameters. We envision that the goals can be achieved in three clear steps: proof of principle, shower parameter extraction, and followed by design of a dedicated experiment. The first phase of this proposal addresses the issue of identifying the radio signals from cosmic ray shower radio scatter using conventional muon detectors in coincidence. This will tell us if we can detect and identify cosmic ray radio scatter signals in a standalone radio detection system. If successful the following phases will be used to test techniques to extract shower parameters from measurements and propose a design of a dedicated cosmic ray radio scatter experiment.
Topo     
SEMINARISTA: Cássio Leandro Dal Ri Barbosa - IAG/USP
DATA: 30/04/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Observacoes no Infravermelho Medio de NGC3576/IRS-1.

RESUMO: Apresentarei os primeiros resultados, obtidos no infravermelho médio através das observações feitas pelo telescópio Gemini-Sul, da regiao HII Gigante NGC3576. Atencao particular é dada à fonte IRS-1, que pode ser resolvida em tres objetos pela primeira vez nestes comprimentos de onda. Para cada um deles apresento a distribuição espectral de energia, sugerindo a presenca de um disco circunstelar para o objeto mais brilhante, alem de mapas de temperatura e distribuição espacial de poeira.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Adriana Válio Roque da Silva - CRAAM/UPM
DATA: 07/05/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Distribuição do Brilho Solar em Freqüências de Rádio

RESUMO: O estudo da variação da temperatura do disco solar, obtida a partir de observações rádio (microondas, milimétrico, submilimétrico) é fundamental para a determinação da strutura de temperatura e densidades cromosféricas e coronais. Modelos teóricos predizem um abrilhantamento perto do limbo solar devido ao gradiente positivo de temperatura para altas freqüências (>15 GHz). Apresentamos aqui os resultados de observações feitas em 17 GHz (Rádio Heliógrafo de Nobeyama), 22 e 48 GHz (Itapetinga) e 212 GHz (Telescópio Solar Submilimétrico). O Sol, observado nestas freqüências, apresenta um anel de abrilhantamento no bordo. Da análise de mais de 3000 mapas do Sol em 17 GHz, concluiu-se que o abrilhantamento (~15% acima do valor do Sol calmo) varia tanto no tempo quanto com a latitude heliográfica. A intensidade do excesso de temperatura nos polos está anticorrelacionada com o ciclo solar, e também parece estar associada com a presença de buracos coronais. Observações durante épocas de mínima atividade solar, sem regiões ativas próximas ao limbo, mostraram que o anel de abrilhantamento é mais intenso nos polos (20%), sendo 15% acima do sol calmo próximo ao equador solar, e apenas 10% nas regiões intermediárias. A influência das espículas sobre o anel de abrilhantamento é discutida.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. João Braga - Divisão de Astrofísica/INPE)
DATA: 14/05/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Projeto MIRAX: uma missão brasileira de astronomia de raios-X

RESUMO: O Monitor e Imageador de RAios-X (MIRAX) é um projeto, inédito no Brasil, de desenvolvimento de um observatório astronômico em satélite. A carga útil será composta de um conjunto de câmeras imageadoras de raios-X cobrindo a faixa de 2 a 200 keV com alta resolução angular (5'), amplo campo de visada (45o x 22o) e resolução temporal abaixo de milissegundos. O principal objetivo científico da missão é proporcionar à comunidade científica nacional e internacional uma cobertura sem precedentes de eventos explosivos e estudos de variabilidades numa ampla faixa de escalas temporais em astrofísica de altas energias. Isso será alcançado através de medidas espectroscópicas obtidas através de um imageamento contínuo (9 meses/ano) da região central do plano Galáctico (1000 graus2), o que se constitui numa oportunidade sem par para o estudo de diversos aspectos relacionados a estrelas de nêutrons, buracos negros, jatos relativísticos e fenômenos explosivos, incluindo bursts de raios gama. A sensibilidade do conjunto será 10 vezes melhor do que a do RXTE/ASM (1 mCrab/dia, 2-10 keV) e 40 vezes melhor do que o CGRO/BATSE (2,5 mCrab/dia, 10-100 keV). Os instrumentos que compõem o projeto da carga útil - duas câmeras de raios-X duros e uma câmera de raios-X moles - serão em parte projetados e construídos no INPE, com a participação da indústria nacional. O projeto conta com a colaboração científica e técnica de instituições, nos EUA e na Europa, de alta experiência e grande reconhecimento na área de satélites de raios-X. Nesse seminário serão apresentados os desenvolvimentos recentes no projeto dessa missão, enfatizando os seus benefícios científicos e técnicos para a comunidade científica brasileira.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Williams dos S. Vilas Boas - FMI/DAS/INPE
DATA: 21/05/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Análise Preliminar de Dados do Radar Meteórico do INPE, Durante o Período de Sete Chuvas.

RESUMO: Foram utilizados dados do Radar Meteórico do INPE, para selecionar, entre 1999 e 2000, sete chuvas de meteoros consideradas fortes, com radiantes acima do horizonte. Alguns parâmetros físicos dos meteoros observados durante o período das chuvas, foram analisados tendo como objetivo identificar peculiaridades associadas com esses meteoros. Dentre esses parâmetros, estão o número de ocorrências por hora, ao longo do período das chuvas, taxa de ocorrência em função da altura, distribuições de velocidades e distribuições dos tempos de duração. Ainda no período dessas chuvas, foi determinada a Densidade Colunar de Elétrons na direção do zênite, a partir de dados de GPS (Global Positioning System). Essa atividade teve como objetivo investigar se durante o períodos das chuvas são produzidas perturbações densidade eletrónicas na Ionosfera capazes de serem identificadas através das técnicas de GPS.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Mauricio Ortiz Calvao - DFM/IF/UFRJ
DATA: 28/05/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Energia escura e distorção na aglomeração de quasares

RESUMO: Mostramos, atraves de simulacoes de Monte Carlo para levantamentos espectroscopicos recentes (2dF e SDSS), que os parametros cosmologicos de um modelo de Friedmann-Robertson-Walker com duas componentes (uma materia escura fria e a outra energia escura) podem ser competitivamente bem vinculados, a partir do estudo da distorção, no espaço de desvio para o vermelho, da aglomeracao de quasares. Tal distorcao recebe, tipicamente, duas contribuicoes: uma dita geometrica ou efeito Alcock-Paczynski e outra dita cinematica, devido a existencia de velocidades peculiares; levamos em contas ambas as contribuicoes, sendo a cinematica no regime linear. Encontramos, particularmente, que o teste proposto é bastante sensivel `a diferenca entre os parametros de densidade da materia escura e da energia escura, tornando-o complementar, por exemplo, às observações da radiação cósmica de fundo.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Carlos Alexandre Wuensche de Souza - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 04/06/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Observações da Radiação Cósmica de Fundo em Microondas com o telescópio BEAST

RESUMO: Discutiremos nesse seminário as características do telescópio BEAST e a missão atualmente em andamento em White Mountain Research Station (EUA). Serão mostradas as etapas da análise de dados, as ferramentas utilizadas e os resultados preliminares já obtidos. Posteriormente será feita uma comparação entre o BEAST e alguns dos experimentos em operação para medir a RCFM. Finalmente, discutir-se-á a viabilidade de se fazer medidas de polarização e a possibilidade de usar os dados do BEAST no estudo de outros problemas astrofísicos.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Zulema Abraham - IAG/USP
DATA: 11/06/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Precessão dos Jatos em Escalas de pc em Quasares

RESUMO: A existência de jatos curvos em escalas de pc e de componentes superluminais com distintas velocidades são os argumentos mais fortes para postular a existência de precessão nestes jatos. Dentro desta hipótese, duas situações são possíveis: as trajetórias das componentes são helicoidais, ao longo das paredes de um jato estacionário, ou os movimentos são balísticos e as componentes seguem trajetórias retilíneas e com velocidade constante ao longo da direção do jato no momento de sua ejeção. Nós mostramos evidência a favor desta última hipótese em vários objetos e determinamos os parâmetros da precessão, como período, ângulo de abertura, etc. Explicamos a precessão como efeito de um sistema binário de buracos negros, onde o disco de acresção do primário não é coplanar com a órbita do sistema e determinamos limites para as massas destes buracos negros.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Carlos Neves de Araujo - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 18/06/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Um Modelo para a Fromação de Vazios

RESUMO: Estudamos a formação de vazios partindo de perturbações de densidade negativas que evoluem durante e depois da recombinação. Levamos em conta a presença da matéria escura não-bariônica (CDM, Cold Dark Matter) não interagente, a constante cosmológica, e uma série de processos físicos presentes durante e após a era da recombinação tais como o "photon drag" resultante da interação entre a matéria e radiação, e a produção de moléculas de hidrogênio. Analisamos um conjunto de modelos COBE-normalizados, usando diferentes espectros de perturbações para avaliar sua influência na formação dos vazios. Nossos resultados mostram que grandes vazios com diâmetros de $10-50 h^{-1} Mpc$ podem ser formados em modelos de universo dominados pela constante cosmológica ($\Omega_\Lambda \sim 0.8$).
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Luiz Claudio Lima Botti - Divisão de Astrofísica /INPE-CRAAM/UPM
DATA: 25/06/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Gamma-Ray Bursts e Soft Gamma Repeaters

RESUMO: Este seminário tenta dar uma idéia geral a respeito dos Gamma-Ray Bursts (GRBs) e dos Soft Gamma Repeaters (SGRs). Os GRBs foram descobertos acidentalmente entre o final da década de 1960 e início da década de 1970, pelos satélites Vela do departamento de defesa dos Estados Unidos. A princípio os satélites foram projetados para detectar emissões de raios gama provenientes de testes atômicos atmosféricos, mas para nossa surpresa acabaram detectando um dos mais poderosos fenômenos do Universo. Oficialmente eles foram descobertos e anunciados pelos astrônomos em 1973. Acredita-se que os GRBs estejam a distâncias cosmológicas. Uma característica importante dos GRBs é que se distribuem aleatoriamente no céu e suas emissões são transientes, com duração entre 30 milisegundos e 1,6 horas. No entanto a primeira explosão de SGR foi detectada somente em janeiro de 1979. Durante anos os astrônomos não sabiam distinguir a diferença entre SGRs e GRBs clássicos. Mas com a utilização de modernos detectores foi possível em 1987 distinguir os dois tipos de objetos. Os SGRs são repetidores de raios gama, isto é, um mesmo objeto pode emitir diversas vezes, ao contrario dos GRBs, que só emitem uma vez de uma mesma região do espaço. Esses objetos poderosos não se localizam a distâncias cosmológicas como GRBs e podem estar na nossa galáxia ou próximos a ela. Algumas dessas esplosões SGRs podem gerar grandes distúrbios na distribuição de densidade ionosférica, conteúdo eletrônico total (TEC) e do sistema ionosférico como um todo. A utilização do GPS (Global Positioning System Satellites) faz-se necessária para obtermos um melhor entendimento da ionosfera, na presença dos SGRs.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Edgard Casal de Rey Neto - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 02/07/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Relatividade Geral com Invariantes Quadráticos e Ondas Gravitacionais

RESUMO: Lagrangianas compostas por invariantes não lineares no tensor de curvatura resultam nas chamadas teorias de gravitação de alta ordem. Estudos realizados durante a década de 70 (Stelle 1977) mostraram que teorias com invariantes polinomiais de segunda ordem (quadráticos) adicionados ao invariante linear R são renormalizáveis. No entanto, paga-se um preço por isso: o surgimento do fantasma massivo de Weyl que pode, em princípio, violar a unitariedade da teoria. No entanto, estudos realizados por Julve & Tonin (1978) mostram que o fantasma é inofensivo (a teoria é efetivamente unitária). Nesta apresentação veremos como se define a relatividade geral com invariantes quadráticos e algumas previsões desta teoria para ondas gravitacionais. Vamos constatar que existem certas soluções exatas (não perturbativas) que representam ondas de choque gravitacionais. Estas soluções contêm singularidades e, como veremos, os componentes quadráticos da teoria vão contribuir para atenuação destas singularidades. No âmbito da astrofísica espera-se encontrar ondas de choque gravitacionais associadas a enventos abruptos que envolvem grande quantidade de energia. Estes poderiam ocorrer em transições de fase cosmológicas ou, pensando em termos de fontes isoladas, nos "gamma-ray bursters" (GRBs). Evidências a cerca dos GRBs apontam para a existência de um fluxo ultrarelativístico na fonte progenitora (Sari 2000). Para concluir, veremos como é possível obter o perfil de uma onda de choque gravitacional produzida por um fluxo ultrarelativístico nas teorias de relatividade geral Quadrática e Einsteiniana.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Reinaldo Ramos de Carvalho - ON
DATA: 04/07/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Cluster of Galaxies: how to detect them; learning about galaxy evolution

RESUMO: The main goal of this talk is to present The Northern Sky Optical Cluster Survey NoSOCS), a new cluster survey based on the digital scans of the second Palomar Observatory Sky Survey (DPOSS). We will present how clusters are selected from this large database and how can we use them to study galaxy evolution. This survey attempts to eliminate some of the subjective criteria of past surveys, making the comparison between data and models more meaningful. Also, by making use of a large collection of CCD data, obtained during the DPOSS project, in three photometric bands we will revisit the Butcher-Oemler effect up to z = 0.3.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Gabriel Franco - IF/UFMG
DATA: 11/07/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: A Cavidade em Infravermelho na Região das Nuvens Escuras em Lupus

RESUMO: A existência de uma área deficiente em emissão infravermelho na região das nuvens escuras em Lupus foi descoberta por Gahm et al. (1990). Nessa época, esse autores sugeriram que a cavidade poderia ter sido criada pela ação de uma supernova. Nesse seminário serão apresentados os resultados de dois programas observacionais realizados na região, um fotométrico e outro polarimétrico. A análise dos dados fotométricos confirma a existência de uma região deficiente de material interestelar circundada por um meio cuja distância é de no máximo 100 pc. Esse resultado está em desacordo com estimativas anteriores da distância à suposta supernova que seria a responsável por limpar a região da poeira interestelar. Como uma alternativa, será sugerido que essa deficiência pode ter sido produzida pelo desprendimento de material da interface entre as bolhas Local e Loop I, como conseqüência de instabilidades hidromagnéticas. O programa polarimétrico encontra-se em andamento, no entanto, como os objetos observados foram selecionados do catálogo Hipparcos, resultados preliminares impõem limites à distância das nuvens que circundam a cavidade.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Vinod Krishan - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 30/07/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Flat Rotation Curves of Galaxies - Missing Matter or Missing Physics

RESUMO: The flat profile of the rotation curves of galaxies has been stimulating the imagination of astronomers for several decades now. The various interpretations are based on: 1. the presence of a large amount of dark matter; 2. a modification of the Newtonian force; 3. the effect of the magnetic stresses; and 4. the properties of the interstellar turbulence. In this talk I will describe how the rotation curves of galaxies can be modelled by combining the effects of rigid rotation, gravity and turbulence. The main characterisric of a turbulent medium used in this study is its ability to transfer energy from small spatial scales to large spatial scales through the phenomenon of the inverse cascade of energy. It is shown that conditions for the inverse cascade of energy exist and they are similar to those required for the generation of the galactic magnetic field. We further show that in the Tully-Fisher relation, the velocity contribution due to turbulence is better correlated with the U, B and V luminosities whereas the gravity component is better correlated with the I band luminosity. This is as it should be since the short wavelength luminosity is believed to be a better indicator of turbulence. In conclusion, it is possible to model the rotation curves by including the role of turbulence and there is no need to invoke any mysterious matter.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Ronaldo Eustáquio de Souza - IAG/USP
DATA: 13/08/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Estatística não extensiva, aglomerados globulares e galáxias elípticas

RESUMO: A estatísca não extensiva permite o estudo detalhado de diversos fenômenos dominados por forças de longo alcance e cuja descrição requer uma ampliação da estatística usual de Boltzmann-Gibbs. Nesse seminário descrevemos uma aplicação desses conceitos no estudo da estrutura de aglomerados globulares e galáxias elípticas. Uma classe de soluções, não afetadas pelos efeitos de maré, se comporta como as esferas politrópicas descritas pelas equações de Lane-Emden. Já os modelos afetados pelo truncamentos de maré ampliam a classe de modelos de King e podem ser utilizados para descrever não só os aglomerados globulares como também as galáxias elípticas.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Ericsson Lopez - IAG/USP
DATA: 20/08/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: The physics of jets and the radiation from GRBs

RESUMO: The GRBs are perhaps the most puzzling phenomena in modern astrophysics, whose origin remained a mystery. The blazars are radio galaxies with jets pointing directly to us. The special orientation of this objects probably is related with their very strong gamma-ray emission. The open problem is that to understand if the physics of jets could be able to explain the origin of the gamma-ray bursts. In this context, we have showed, using a dispersion model that was developed for highly relativistic jets, that the observed radiation in Blazars(GRBs) strongly depends on the amount of relativistic beaming, as well as the intrinsic properties of the jet. Absorption features in the range of KeV have been reported in 20-30% of the classical burts observed with the KONUS detector. The physical explanation for the origin of these singular features we give invoking magnetic field strengths that are much smaller those presently required by the existing models in the literature. These are some of the several topic relate to the jets in GRBs that currently we have investigated.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Sandra dos Anjos - IAG/USP
DATA: 27/08/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Decomposição B/D Bi-dimensional de Espirais Tardias e o Plano Fundamental

RESUMO: A partir da técnica de decomposição bojo/disco (B/D) bi-dimensional aplicada em uma amostra de galáxias espirais tardias, digitalizadas no POSS (DSS), parâmetros estruturais de galáxias são obtidos. Fotometria CCD foi utilizada para comparar vários parâmetros estruturais e estabelecer a validade da decomposição B/D via DSS. Discussões sobre correlações, tais como escala de comprimento do bojo e raio efetivo do disco, são apresentadas dentro do contexto de evolução secular em barradas. O "locus" ocupado por estes bojos de espirais "tardias" no Plano Fundamental é também verificado, e uma comparação com bojos de espirais "jovens" e com as elípticas será apresentado.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Jorge Ernesto Horvath - IAG/USP
DATA: 17/09/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: O primeiro round do século: observação vs. teoria de estrelas compactas

RESUMO: O lançamento dos satélites de raios X, Chandra e XMM, com capacidades de imageamento e espectroscopia sem precedentes, têm trazido novidades de grande importância para compreender a natureza e evolução das estrelas compactas e suas origens. O anúncio público da existência de matéria exótica nos interiores de estrelas compactas, por dois grupos que utilizaram os dados do Chandra, causou bastante entusiasmo e ao mesmo tempo ceticismo. Apresentamos uma análise crítica da evidência em favor da matéria exótica, e da sua interpretação teórica em termos de modelos estelares para melhor avaliarmos, tanto a potencialidade dos instrumentos, quanto a necessidade de efetuar a confirmação observacional das fontes.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. José Roberto Cecatto - Divisão AStrofísica/INPE
DATA: 24/09/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Como vai o BDA?

RESUMO: O projeto do Arranjo Decimetrico Brasileiro (BDA) é um projeto brasileiro para construção de um arranjo interferométrico composto de 38 antenas de rádio operando em 1,2-1,7; 2,7 e 5,0 GHz. O BDA esta sendo construido pelo INPE e envolve a colaboração de várias instituições no Brasil (INPE, UFSM, UFSCar, PUC-Minas, CRAM, FAPESP, FINEP, CNPq) e exterior (GMRT, NCRA-TIFR, IIA, RAL-UC Berkeley, NoRH) e conta com uma equipe de mais de 30 membros entre cientistas, engenheiros e técnicos distribuidos por aquelas instituições. Apresentaremos os vários processos do desenvolvimento do projeto e o atual estágio de construção e montagem do BDA, a fase de protótipo - designado por PBDA - composto de 5 antenas, desde o inicio da construção até a montagem e inicio da integração das várias partes: instalação das bases, sistema mecânico de rastreio, alimentador, etc.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Oswaldo Duarte Miranda - Depto Física / ITA
DATA: 01/10/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Buracos negros pré-galácticos e a formação das estruturas do Universo

RESUMO: Recentes resultados de simulações numéricas que estudam a fragmentação de nuvens moleculares primordiais, em cenários hierárquicos de formação de estruturas, tem sugerido que os primeiros objetos formados no Universo foram estrelas com massas acima de 150 M_sol. Por outro lado, a evolução dessas estrelas de alta massa acaba produzindo, inevitavelmente, uma população de buracos negros pré-galácticos que podem ter produzido uma assinatura observacional na forma de ondas gravitacionais. Neste seminário serão discutidos alguns aspectos associados à geração de ondas gravitacionais em cenários hierárquicos, de formação de estruturas, concentrando a atenção em que tipo de informação a cerca do Universo, em alto redshift, poderiamos obter pela detecção (ou não) de ondas gravitacionais provenientes dessa população, pré-galáctica, de buracos negros.
Topo     
SEMINARISTA: César Augusto Costa
DATA: 15/10/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Demografia dos Gamma-ray Bursts a partir da amostra com redshifts conhecidos

RESUMO: Os "Gamma-ray Bursts" (GRBs) são os eventos mais energéticos em escala de tempo curta da natureza, sendo superados apenas pelo próprio "Big-Bang". O mecanismo para gerar tão grandes emissões de energia (com luminosidade de pico superiores a 10^{52} erg/s) não são totalmente conhecidos, apresentaremos algumas teorias que têm sido usadas para explicar tais eventos. O número de GRBs com ``redshift" conhecido não é, hoje, grande o suficiente para que um estudo estatístico destes fenômenos seja confiável, porém pode ser usado como base de partida para a realização de uma estimativa de distribuição. Neste trabalho, examinamos as restrições que podem ser impostas à função de luminosidade dos GRBs e a sua distribuição em redshift pela aplicação de modelos simples, e comparando-os com a distribuição de "redshifts" conhecidos, com o diagrama \log N(>P) \times \log P e a distribuição de luminosidades observada. Inicialmente, constatamos que fortes efeitos evolutivos são necessários para explicar a distribuição de redshifts, tanto para uma função de luminosidade singular (que considera os GRBs como "velas padrão") quanto para o caso estendido. O ponto chave de nossa análise é a aplicação de funções com perfis mais suaves quanto o possível, tanto para a função de luminosidade quanto para a distribuição radial.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Paulo Sérgio Custódio
DATA: 22/10/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Holografia em cosmologia e buracos negros

RESUMO: O limite de Bekenstein tem aplicações muito interessantes na física de buracos negros e cosmologia. Atualmente, o principio holográfico e considerado de importância fundamental na estrutura da teorias de gravitação e unificação, brane cosmology e cordas. Neste seminário apresentaremos simples cálculos que mostram como este principio pode ajudar a estimar cotas minimas ao tempo de formação dos grandes buracos negros de AGNs e também para estimar o numero máximo de buracos negros de outra origem. Discutiremos o modelo de Magueijo para o crescimento da massa de buracos negros de AGNs no cenário de quintessencia e nossos melhoramentos a este modelo. Finalmente, vou discutir um pouco sobre o principio holografico em gravidade quântica.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Gustavo Medina Tanco - IAG/USP
DATA: 29/10/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Raios Cósmicos de Ultra-Alta Energia e o Observatório Pierre Auger Sul

RESUMO: Não existe uma definição padrão para o que são raios cósmicos de ultra-alta energia. Não obstante, para fins práticos, incluiremos nesta categoria aqueles raios cósmicos com energias além de 10^{18} eV. Desde a década de 60, esperava-se que o espectro de raios cósmicos apresentasse um corte natural a energias da ordem de 6 x 10^{19} eV como resultado de interações com o fundo cósmico de radiação de microondas. Experimentos recentes têm demostrado, não obstante, a continuidade do espectro a energias acima de 10^{20} eV, o que implica na relativa proximidade das fontes. Nestas condições é de se esperar que, mesmo partículas carregadas, sofram só pequenos desvios durante a sua propagação pelos meios intergaláctico e interestelar, e as fontes sejam facilmente observáveis. Até o presente, e a pesar de considerável esforço neste sentido, nenhum objeto astrofísico tem sido associado aos eventos de mais alta energia. De fato, nem a identidade das partículas envolvidas é inequivocamente conhecida. Assim, associando energias definitivamente macroscópicas a partículas microscópicas, os raios cósmicos de ultra alta energia constituem um grande enigma, tanto da astrofísica com da física de partículas. As informações disponíveis até o momento provêm dos experimentos de Volcano Ranch (USA), Yakutsk (USSR), Fly's Eye (mono e estéreo) (USA), SUGAR (Austrália), Haverah Park (Reino Unido), AGASA (Japão) e, recentemente, HiRes (Utah, USA). Porém, respostas definitivas a interrogantes tão fundamentais quanto a existência do GZK cut-off, deverão ser dadas pelo maior destes experimentos de nova geração: o Observatório Pierre Auger. Este ambicioso projeto prevê a construção de dois arranjos de detetores cobrindo um área de 3000 km^{2} em cada hemisfério (Malargüe, em Argentina, e Utah em USA), e deve elevar a taxa de eventos detectados em duas ordens de magnitude. Participam deste esforço 15 países, sendo o Brasil um dos participantes majoritários. No seminário será apresentada uma visão geral do presente estado da área e serão discutidas as perspectivas no futuro imediato com a entrada em operação do Observatório Pierre Auger em Malargüe.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Gabriel Rodrigues Hickel
DATA: 31/10/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: A placenta de gêmeas de pequena massa em gestação: o caso do glóbulo cometário CG30 (DC253.3-1.6) e IRAS08076-3556

RESUMO: Apresento neste seminário o primeiro desdobramento de minha tese de doutorado concluída em Abril deste ano, na qual combinamos observações de polarização linear no óptico, dados IRAS no infravermelho distante e observações de transições moleculares em radiofrequências para analisar as menores e mais densas nuvens escuras do meio interestelar: os glóbulos cometários. No momento, nos concentramos no objeto CG30, que apresenta objetos Herbig-Haro e ejeções de matéria, além de uma fonte pontual IRAS em seu interior. Combinamos nossos dados com o trabalho de Henning et al. (2001 - ApJ 561, 871) para demonstrar pela primeira vez a natureza, influência e alteração do campo magnético em torno de uma binária em gestação. Os dados de linhas moleculares, combinados com os trabalhos de Nielsen et al. (1998 - A&A 336, 329) e Hodapp & Ladd (1995 - ApJ 453, 715) mostram que CG30 sofre um processo de fragmentação e possui uma ejeção de matéria quadrupolar. Por fim, dados IRAS, 2MASS e de vários autores são combinados para fornecer as propriedades físicas dos objetos estelares jovens, a partir de um modelo evolutivo de Myers et al. (1998 - ApJ 492, 703).
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Gabriel Rodrigues Hickel
DATA: 05/11/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: A placenta de gêmeas de pequena massa em gestação: o caso do glóbulo cometário CG30 (DC253.3-1.6) e IRAS08076-3556

RESUMO: Apresento neste seminário o primeiro desdobramento de minha tese de doutorado concluída em Abril deste ano, na qual combinamos observações de polarização linear no óptico, dados IRAS no infravermelho distante e observações de transições moleculares em radiofrequências para analisar as menores e mais densas nuvens escuras do meio interestelar: os glóbulos cometários. No momento, nos concentramos no objeto CG30, que apresenta objetos Herbig-Haro e ejeções de matéria, além de uma fonte pontual IRAS em seu interior. Combinamos nossos dados com o trabalho de Henning et al. (2001 - ApJ 561, 871) para demonstrar pela primeira vez a natureza, influência e alteração do campo magnético em torno de uma binária em gestação. Os dados de linhas moleculares, combinados com os trabalhos de Nielsen et al. (1998 - A&A 336, 329) e Hodapp & Ladd (1995 - ApJ 453, 715) mostram que CG30 sofre um processo de fragmentação e possui uma ejeção de matéria quadrupolar. Por fim, dados IRAS, 2MASS e de vários autores são combinados para fornecer as propriedades físicas dos objetos estelares jovens, a partir de um modelo evolutivo de Myers et al. (1998 - ApJ 492, 703).
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Cláudia Vilega Rodrigues
DATA: 12/11/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Hen 3-1475: modelos para seu envelope de poeira

RESUMO: Hen 3-1475 é uma proto-nebulosa planetária: classe de objetos entre as fases de gigante do ramo assintótico e nebulosa planetária. Este objeto apresenta uma geometria tipicamente bipolar: uma região central bastante densa, provavelmente achatada equatorialmente, de onde partem jatos altamente colimados. Neste seminário, apresentamos e discutimos alguns modelos para o envelope de poeira deste objeto. Usamos o código de Carciofi (2002) que resolve o transporte radiativo dos parâmetros de Stokes simultaneamente ao equilíbrio radiativo em um envelope de poeira pelo método de Monte Carlo para ajustar o fluxo e a polarização.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Elisabete M. de Gouveia Dal Pino - IAG/USP
DATA: 19/11/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Asymmetric Supernova Explosions, GRBs and Jets

RESUMO: A type Ia supernova explosion starts in a white dwarf as a laminar deflagration at the center of the star and soon several hydrodynamic instabilities, in particular, the Rayleigh-Taylor (R-T) instability, begin to act. A turbulent combustion regime is rapidly achieved by the flame and maintained until the transition to detonation is believed to occur. We have computed the propagation of a thermonuclear flame in the presence of the magnetic field of the white dwarf progenitor assumed to be dipolar, and found that, within the framework of fractal models for the flame velocity, the front is affected by the field through the quenching of R-T instability growth in the direction perpendicular to the field lines. As a consequence, an asymmetry develops between the magnetic polar and the equatorial axis that gives a prolate shape to the burning star. Computing the total integrated asymmetry as the burning front propagates through the outer, decreasing density shells of the magnetized, expanding progenitor star, we found that a maximum asymmetry of about 50% is produced between the polar and equatorial directions, for progenitors with a surface magnetic field B = 5 x 107 G, and a composition 12C = 0.2 and 16O = 0.8. This asymmetry could explain recently detected asymmetries in spectropolarimetric observations of very young supernova remnants. We have investigated the same mechanism in the transition of neutron to strange quark matter (SQM) inside neutron stars (NSs) and shown that the influence of the magnetic field which is expected to be present in NS interiors has a dramatic effect on the propagation of the deflagration front generating a strong asymmetry in the geometry of the just formed core which resembles a cylinder orientated in the direction of the magnetic poles of the NS. This asymmetry gives rise to a bipolar emission of the thermal neutrino-antineutrino pairs produced in the process of SQM formation. These pairs annihilate into e+e- pairs just above the polar caps of the NS giving rise to a relativistic fireball, thus providing a suitable form of energy transport and conversion to gamma-emission that may be associated to short gamma ray bursts (GRBs). In this seminar, I will discuss the aspects above related to asymmetric deflagrations and also give a brief review of our most recent results on three-dimensional hydrodynamical simulations of another class of asymmetric phenomenum in astrophysics, namely, the supersonic bipolar jets.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Domingos S.L. Soares - Depto Física - UFMG
DATA: 22/11/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: A Pêra de Hawking

RESUMO: Inspirado por uma imagem criada por Stephen Hawking em seu último livro "O universo numa casca de noz", eu discuto alguns conceitos básicos dos modelos de um universo em expansão uniforme. Como bônus adicional, apresento um inventário atualizado dos componentes do universo, segundo o modelo vigente, em termos de matéria bariônica (radiante e escura), matéria não bariônica (escura) e energia (escura). Este trabalho originou-se de minha experiência como professor da disciplina 'Fundamentos de Cosmologia', a qual é um dos "Tópicos em Física A' (carga horária de 30 horas-aula), do Departamento de Física, da Universidade Federal de Minas Gerais. O pré-requisito solicitado é "Introdução à Física Quântica', disciplina obrigatória do 4o. período do curso de Física. O livro-texto adotado é "Physics of Stellar Evolution and Cosmology" (capítulos 6 e 7), de H.S. Goldberg e M.D. Scadron. Como texto complementar, adoto os capítulos 14 e 15 de "Cosmology, the science of the universe", de Edward Harrison.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Eduardo Janot Pacheco - IAG/USP
DATA: 26/11/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: A Participação Brasileira no Satélite COROT

RESUMO: COROT é um mini-satélite franco-europeu que fará fotometria de altíssima precisão essencialmente de dois campos fixos no céu, durante seis meses cada um. Em princípio voltado para o estudo de pulsações não-radiais e a detecção de planetas extra-solaress os participantes podem propor programas adicionais abrangendo quaisquer tipos de objetos. O Brasil participará da missão através da estação terrestre de natal, de trabalho nas equipes de software e de trabalho científico na fase de pré-lançamento. Teremos assim, os mesmos direitos que os parceiros europeus do COROT.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Deonísio Cieslinski
DATA: 28/11/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Identificação de novas Variáveis Cataclísmicas na direção do Bojo Galáctico e Nuvens de Magalhães usando dados do OGLE.

RESUMO: Neste seminário apresentaremos os resultados de uma pesquisa que efetuamos nos arquivos de dados fotométricos do projeto OGLE (Optical Gravitational Lensing Experiment) visando a identificação de novas variáveis cataclísmicas. Os objetos para inspeção foram selecionados usando-se como critério de seleção a amplitude de variação de brilho. Um total de 13756 curvas de luz foram visualmente analisadas e cerca de 33 novas anãs e 2 novas clássicas foram reconhecidas. Discutiremos as implicações desta nova amostra de variáveis cataclísmicas sobre a densidade espacial das mesmas, bem como os problemas com o critério de seleção usado e as dificuldades enfrentadas na identificação de novas variáveis e que podem ter afetado o número de identificações positivas.
Topo     
SEMINARISTA: Dra. Vera Jatenco Silva Pereira - IAG/USP
DATA: 03/12/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Colisão de ventos em sistemas binários

RESUMO: Praticamente todos os sistemas binários massivos apresentam altos fluxos de raio-X, não originados nas estrelas, mas ao seu redor, indicando a presença de ventos em colisão. Nós analisamos um modelo para explicar a curva de luz de raio-X de eta Carinae que apresenta, próximo ao "periastron", um aumento na emissão raio-X seguida por um repentino decréscimo o qual permanece por aproximadamente um mês. Para mostrar que a colisão de ventos não somente aumenta a emissão em raio-X mas também permite a formação de poeira, determinamos os parâmetros físicos na região de choque e consideramos os principais mecanismos de aquecimento e esfriamento radiativo para obter a evolução temporal da densidade e temperatura. Aplicando o modelo à eta Carinae mostramos que o declínio no fluxo de raio-X, observado em sua curva de luz, é uma consequência de sua alta absorção pelos periódicos eventos de formação de grãos, próximo da passagem pelo "periastron". O melhor ajuste para a curva de luz nos permite determinar os parâmetros orbitais e as taxas de perda de massa para o sistema binário.
Topo     
SEMINARISTA: Sérgio Ricardo Furtado - Divisão de Astrofísica/INPE
DATA: 10/12/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Estudo de Técnicas de Resfriamento Rápido de Antenas Esferoidais Utilizadas em Detectores de Ondas Gravitacionais

RESUMO: A detecção de Ondas Gravitacionais utilizando antenas ressonantes poderá envolver, num futuro próximo, o resfriamento de grandes massas (cerca de 100 toneladas), da temperatura ambiente (300K) até temperaturas ultracriogênicas (20mK), e a necessidade de se garantir vários meses de operação do detector com poucas e curtas interrupções para manutenção. Para resfriar estes detectores é utilizado um gás de troca (hélio), sendo o calor da antena removido para um reservatório frio por condução térmica e convecção natural. Consegue-se obter com esta técnica tempos de resfriamento de aproximadamente um mês para detectores de barras cilíndricas de 2,5 toneladas. Caso essa mesma técnica fosse empregada para o resfriamento de uma antena esférica com 100 toneladas, o tempo de resfriamento seria da ordem de 10 meses, inviabilizando a operação dessas antenas. Neste trabalho são estudadas técnicas de resfriamento rápido, como chaveamento térmico ou convecção forçada, a partir da temperatura ambiente até a temperatura de ebulição do nitrogênio líquido (77,4K), utilizando um icosaedro truncado, feito de alumínio com 25 cm de diâmetro e 19 kg de massa. Os tempos de resfriamento obtidos, por convecção forçada e chaveamento térmico, para o protótipo de Alumínio foram, respectivamente, de 30 h e 60 h. A partir destes resultados foi possível estimar o tempo de resfriamento para uma antena esférica com 1,15 tonelada em cerca de 45 h, por qualquer uma das técnicas estudadas, mostrando ser possível obter para o chaveamento térmico tempos de resfriamento similares aos obtidos por convecção forçada.
Topo     
SEMINARISTA: Dr. Hugo Vicente Capelato - Divisão Astrofísica/INPE
DATA: 17/12/2002
LOCAL: Anfiteatro do prédio IAI
HORA: 16h

TITULO: Propriedades dinâmicas e estruturais de aglomerados de galáxias: o caso do aglomerado Abell 970

RESUMO: Os aglomerados de galáxias são as maiores estruturas em equilíbrio no Universo. Este clichê da literatura científica, muito popular até alguns anos atrás, foi colocado em suspeição pelas teorias de formação das grandes estruturas mais populares hoje em dia (i.e., as teorias fundadas na hipótese da Matéria Escura Fria - MEF), as quais "predizem" que seria somente na época atual que os sistemas envolvendo massas $\sim 10^{15} M_{\odot} $ estariam entrando em equilíbrio. Neste seminário, procuraremos introduzir o arsenal de técnicas que podemos utilizar para diagnosticar o estágio dinâmico dos aglomerados de galáxias, através do exemplo concreto do aglomerado Abell 970 para o qual recentemente completamos um estudo sistemático.
Topo     
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE
Av. dos Astronautas,1.758 - Jd. Granja - CEP 12227-010 - Sao José dos Campos - SP - Brasil
Copyright 2014 © INPE/DAS - Todos os direitos reservados.